Ano XIII | Edição 757 | 27 de Junho de 2017

POLÍTICA

07 de Agosto de 2015 às 12h15

Vereadores de Natal debatem violência e acidentes no trânsito

noticia

Vereador Aroldo Alves é o autor da proposição da audiência pública

A Câmara Municipal de Natal debateu na manhã da última quarta-feira, dia 5, medidas para conter a violência no trânsito da capital potiguar. Com vereadores, agentes e autoridades de trânsito, o vereador Aroldo Alves (PSDB), propositor da audiência pública, discutiu sobre o alto índice de acidentes de trânsito e insegurança no trabalho dos agentes de trânsito. Para estes, ele apresentou Projeto de Lei que garante armamento no trabalho.

De acordo com os números apresentados pelo chefe do setor de estatísticas da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), Vicente Rego, foram registrados quase oito mil acidentes de trânsito em 2014 nas vias de Natal e mais de dois mil no primeiro semestre de 2015. Cerca de 15 mil veículos estão envolvidos nestes acidentes. A maior parte é do tipo colisões e as motos estão presentes em 56% dos acidentes. As Avenidas João Medeiros Filho, Bernardo Vieira, Roberto Freire e BR 101 Norte e Sul são as vias onde mais se registra acidentes. A Zona Sul registra mais acidentes, contudo, é na Zona Norte onde mais se morre no trânsito. 

 Das pessoas envolvidas, 75% é do sexo masculino e a faixa etária de quem se envolve em acidentes de trânsito em Natal é de 20 a 39 anos, a maioria. "Isso implica no mercado de trabalho, no atendimento a saúde, na Previdência. São pessoas em plena idade produtiva. A STTU está trabalhando para filtrar ainda mais os dados e verificar se são recorrentes nos mesmos locais para promover ações de prevenção", disse  Vicente Rego.

O capitão do Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), Tony Swamarn, explicou que são realizadas operações no sentido de prevenir e inibir a violência no trânsito conseguindo ainda combater roubo de motos e tráfico de drogas nestas operações, além de condutores alcoolizados, que estão envolvidos em boa parte das discussões, agressões e acidentes de trânsito. "Estamos disponibilizando policiamento extra nas vias de maior incidência, além de barreiras itinerantes com a Lei Seca e Operação Duas Rodas, onde recuperamos mais de duas mil motos roubadas no ano passado", disse. 

A vereadora Eleika Bezerra (PSDC) sugeriu que a educação no trânsito fosse levada às escolas para formar bons condutores desde criança. O titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Veículos (DEAV), Frank Albuquerque defendeu a mesma ideia. "Acredito, sim, que deveria haver aulas de trânsito nas escolas porque as crianças seriam ensinadas a defender a própria vida, a dos outros e serão multiplicadores", declarou o delegado.  

O vereador Aroldo Alves chamou a atenção ainda para as agressões que os agentes de trânsito sofrem. "Não é aceitável que os agentes que estão ali para organizar e salvar vidas sejam destratados por quem está errado”, disse.   


JM